ÁREA DO CLIENTE

Liderança inovadora em agências de comunicação

Por Aline Moura

No dinâmico universo das agências de comunicação, a liderança inovadora emerge como um diferencial crucial. Em um cenário onde as mudanças tecnológicas e sociais são constantes, os líderes precisam ir além do gerenciamento tradicional. Falo por experiência própria, na condição de líder da M2 Comunicação Jurídica, cujo modelo de trabalho híbrido e muito veloz nos traz desafios diários de manter a proximidade com os colaboradores mesmo em ambiente remoto, além de promover os controles necessários de entregas de valor.

Na comunicação, e não apenas nela, aprendi que todo líder precisa ser visionário. É preciso ser capaz de fomentar um ambiente onde a criatividade, a empatia e a colaboração prosperam. Para chegar neste patamar, anos de experiência, erros e acertos são bem-vindos. Particularmente, aprendi horrores com a comunicação não violenta (CNV), um conceito desenvolvido por Marshall Rosenberg que desempenha papel fundamental, oferecendo uma abordagem para interações mais humanas e eficazes dentro das equipes.

A CNV me ensinou a importância de ouvir ativamente e expressar necessidades de maneira clara e respeitosa. Isso vale para a comunicação interna da agência e, também, para a comunicação com os clientes. Atritos e discordâncias sempre irão existir, isso é um fato. Como lidar com eles é a chave para manter pessoas motivadas e clientes duradouras.

Em um ambiente de agência, onde prazos apertados e altas expectativas são a norma, a habilidade de se comunicar sem julgamento ou pressão transforma a dinâmica do trabalho. Líderes que adotam a CNV promovem um espaço de trabalho no qual os membros da equipe se sentem valorizados e compreendidos, resultando em maior produtividade e inovação. Esta abordagem contrasta fortemente com estilos de liderança autocráticos, que frequentemente geram medo e complacência, sufocando a criatividade necessária para enfrentar os desafios do mercado.

Outras tendências contemporâneas, como inclusão e sustentabilidade, são indispensáveis. A diversidade de pensamentos e experiências enriquece as soluções criativas e fortalece as estratégias de comunicação. Líderes inovadores entendem que suas equipes devem refletir a pluralidade da sociedade, não apenas como um princípio ético, mas como um imperativo estratégico. Da mesma forma, a sustentabilidade não é apenas uma tendência, mas uma necessidade. Agências que lideram pelo exemplo, adotando práticas sustentáveis, inspiram seus clientes a fazerem o mesmo, criando um impacto positivo mais amplo.

Importante destacar que praticar a liderança inovadora não se trata apenas de implementar novas ideias. Mas de cultivar um mindset que valorize a adaptabilidade, a empatia e o aprendizado contínuo. Líderes que abraçam a mudança e encorajam suas equipes a explorarem novas possibilidades estão melhor posicionados para navegar pelos complexos desafios do mundo corporativo contemporâneo. Num setor no qual a narrativa é fundamental, contar uma história de liderança que prioriza a inovação e a humanidade pode ser a diferença entre ser apenas mais uma agência ou ser uma força transformadora no mercado. O desafio está posto.

Aline Moura é jornalista e sócia da M2 Comunicação Jurídica

Esta gostando do conteúdo? Compartilhe!

Abrir WhatsApp
Precisando de ajuda?
Olá, como podemos ajudar?